3 dias em São Paulo – São Paulo

Publicado por

São Paulo é uma cidade que tem literalmente TUDO! Gastronomia de dezenas países do mundo, festas para todos os gostos, muitas demonstrações de arte, culturas diversas e também a paulistana, tem mata atlântica, tem tanta história. Tenho certeza que se voltar 10 vezes lá, vou ter sempre programas diferentes para fazer em todas elas!

Eu já conhecia São Paulo capital, mas dessa vez, eu fui para fazer e mostrar para vocês um roteiro bem turistão. Fiquei 3 dias e consegui conhecer um monte de lugar bacana. Vamos lá?

.

1º dia – Parque Ibirapuera, Sampa Sky, Vila Madalena e Beco do Batman:

Desembarquei em SP e o dia estava lindão! Fui na casa da minha amiga deixar minha mala e seguir para o primeiro destino do dia, o Parque Ibirapuera.

Inaugurado em 1954, o Parque Ibirapuera recebe cerca de 14 milhões de visitantes por ano, se tornando um dos parques mais visitados e fotografados do mundo. Possui 158 hectares de área, com vários quilômetros de ciclovia, um conjunto arquitetônico belíssimo e áreas verdes incríveis.

Parque Ibirapuera

Aluguei a bike do Itaú assim que cheguei no Parque e paguei R$2,99 a cada 15 minutos e como não tinha muito tempo livre para andar lá, o passeio pelo Ibira durou cerca de 45 minutos.

Abaixo são alguns prédios que conheci do conjunto arquitetônico do Parque do Ibirapuera.

Maravilhosos né? Fora do Ibira, ainda fui conhecer o Monumento às Bandeiras, que representa os bandeirantes, expondo suas diversas etnias e o esforço para desbravar o país. Além de portugueses (barbados), vemos na obra negros, mamelucos e índios (com cruzes no pescoço), puxando uma canoa de monções, utilizadas nas expedições fluviais. A escultura foi encomendada pelo governo de São Paulo em 1921 e tem 240 blocos de granito, cada um pesando 50 toneladas, com 50 metros de comprimento e 16 de altura, foi inaugurada em 1954, juntamente com o Parque do Ibirapuera para as comemorações do IV Centenário da cidade de São Paulo.

Do Parque Ibirapuera, segui para o Sampa Sky, o mais novo mirante de São Paulo, que fica situado no centro da cidade. Os valores são: R$80 (inteira) | R$50 + 1 kg de alimento (meia entrada social) | R$40 (meia entrada). Achei caro, uma vez que a permanência é de apenas 1 minuto e meio em cada caixa de vidro. No local, existem outros pontos de fotos e uma cafeteria. Compre aqui o seu ingresso!

O Sampa Sky possui 2 mirantes que são uma espécie de caixa de vidro, que dão a sensação única de andar sobre a cidade a uma altura de 150 metros, direto do edifício mais alto do centro de São Paulo. Chamei minha amiga Jess do @andarilhas para dividir esse momento comigo. Foi maraaaa!

Saindo do Sampa Sky, fomos almoçar no restaurante Wanderlust Bar e Cozinha, que fica próximo ao Sampa Sky. Gostei muito do ambiente, o risoto estava ótimo, mas deram uma tostadinha no meu filé! 😦

Do restaurante, segui para a Avenida Rebouças para ver alguns murais, inclusive o Ayrton Senna pintado pelo Kobra. Me senti no Banco Imobiliário visitando essas ruas! hahaha

Da Avenida Rebouças, segui a pé até uma cafeteria que vi a Clara, minha amiga blogueira do @lugaresqueamamos_ indicando, e resolvi colocar no meu roteiro.

O Café Cherie é super fofo, temático e instagramável. Super lindo para as fotos e com uma culinária deliciosa. Bolos, tortas, cafés, milkshake e muito mais! Queria ter tido mais tempo para ficar por alí.

Depois segui a pé até a famosa Rua Oscar Freire para procurar o mural da Frida Khalo, mas não encontrei. Se ele ainda existe, está muito bem escondido, porque nem o pessoal que trabalha por lá, sabia me dizer. Enfim, segui o roteiro! haha

Da Oscar Freire, fui para a Vila Madalena e depois de quase 6 anos, estava de volta ao Beco do Batman. O lugar está completamente diferente e com certeza muito mais acolhedor.

Cheio de barzinhos, galerias de arte, pessoas pintando quadros, feirinhas de artesanato, música ao vivo e muito mais.

Um dos barzinhos tocava vitrola e tinha cadeiras de praia, um lugarzinho super cool para passar o dia.

Saindo do Beco do Batman, você ainda pode encontrar perto de um supermercado, esses outros dois lugares bem legais: um mural do Kobra e essa escadaria.

Depois, ainda passei na Sirène Fish & Chips (Rua Harmonia, nº 150), onde está esse grafite maravilhoso e os funcionários são super bacanas e ainda perguntam se quer que tire a foto.

Após um dia cheio, fui para o apartamento descansar e mais tarde, fui jantar com os amigos Yoyô e Gui Fuzari. Eles fizeram hambúrguer e batatas, que por sinal, estavam maravilhosos! Arrasaram!

Olhem a vista do apartamento deles, que era para eu ter chegado mais cedo para ver ao vivo, mas atrasei! Foi ótimo matar a saudade de vocês, meus amigos, já podem me esperar, que logo logo eu estou de volta!

.

2º dia – Estação da Luz, Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca, Mosteiro de São Bento, Rua 25 de Março, Mercado Municipal de Formosa, Farol Santander, Pateo do Collegio, Praça da Sé, Catedral da Sé e Bairro da Liberdade:

Esse dia, optei por explorar o centro de São Paulo, mesmo com praticamente todos os amigos paulistanos avisando que era para eu tomar todo o cuidado possível. Vou dizer para vocês que não me arrependi, porque foi muito bom conhecer tudo, só que é óbvio que todo cuidado é pouco!

Comecei o dia na Estação da Luz, uma das principais estações ferroviárias de São Paulo, recebendo uma média de 450 mil passageiros todos os dias. Inaugurada em 1865, mas não na localização que se encontra atualmente e aos poucos foi se tornando obsoleta diante do crescente número de cargas e de passageiros, que tinham como destino a cidade de São Paulo. Hoje localização no Bom Retiro, teve sua construção iniciada em 1895 e finalizada em 1901. Abriga o Museu da Língua Portuguesa desde 2012.

Então, nem precisei sair de dentro da Estação da Luz para ir para o Museu. Por uma porta a esquerda, você acessa o Museu da Língua Portuguesa através do pátio de entrada. Mesmo aos sábados, com o acesso sendo gratuito, é necessário você retirar um ingresso na bilheteria e apresentar o certificado de vacinação na portaria. Eles aceitam fazer a conferência do certificado através do app Conecte SUS do Governo Federal.

Dentro do Museu, temos 3 andares com exposições diferentes. No 1º andar, uma exposição temporária, no 2º andar a Exposição “Viagens da Língua” e no 3º andar a Exposição “Língua Viva”.

Achei sensacional esse museu e fiquei feliz demais que reabriram depois do triste incêndio que aconteceu em 2015. O incêndio destruiu 2 andares do prédio, fazendo com que ficasse fechado por alguns anos, sendo restaurado nesse tempo e reinaugurado em 31 de julho de 2021. Na foto abaixo, tirada de dentro da Pinacoteca, podemos ver como ficou lindo o prédio da Estação da Luz e do Museu da Língua Portuguesa.

Após a visita do museu, atravessei a rua e fui conhecer a Pinacoteca do Estado de São Paulo, um dos museus de arte mais importantes do Brasil. É o mais antigo museu de arte de São Paulo, fundado em 1905. Possui diversas exposições temporárias e possui mais dez mil peças abrangendo majoritariamente a história da pintura brasileira dos séculos XIX e XX, com salas completamente climatizadas.

Fiquei cerca de 1 hora visitando a Pina, apelido carinhoso que ganhou, e achei o suficiente. Depois da visita parti para o próximo destino, mas antes de contar para onde foi, quero dar uma dica importante: se for pedir um uber, peça e fique esperando dentro da Pinacoteca, fora é muito perigoso e até mesmo os funcionários me fizeram esse alerta.

Depois da Pinacoteca, fui conhecer o Mosteiro de São Bento, que fica situado no centrão de São Paulo. Que lugar maravilhoso! Sério! Só estando lá para ver de pertinho cada detalhe perfeito que ele possui. O Mosteiro de São Bento é parada garantida para quem visita a capital paulista, que vale também para as pessoas que não são religiosas.

Os beneditinos chegaram em São Paulo em 1598, mas somente em 1634 foi criada a Abadia e a capela foi dedicada a São Bento. O local, que hospedou o Papa Bento XVI durante sua visita ao Brasil, abriga hoje, além da igreja (Basílica de Nossa Senhora da Assunção). A outra grande atração é a lojinha, com pães, bolos, doces, biscoitos e geleias feitas pelos próprios monges e cujas receitas são seculares, guardadas há muito no arquivo da abadia. Na foto abaixo, vocês podem conferir a perfeição do teto.

A apenas 1 quadra do Mosteiro, está a Rua 25 de Março, considerada o maior centro comercial da América Latina, situada no centro de São Paulo. Passei só por curiosidade, pois, já conheci da outra vez que estive em São Paulo. Na verdade, eu estava a caminho do Mercadão.

Cerca de 5 minutos caminhando, cheguei ao Mercado Municipal de São Paulo. Por fora estava em reforma, mas por dentro continuava operando normalmente. Estava lotado!

Depois do Mercadão, combinei com duas amigas (Glenda e Yoyô) de almoçar no Bar da Dona Onça, no Edifício Copan, no centro histórico de São Paulo. Ao chegar lá, não havíamos feito reserva e a fila de espera estava de 1 hora e meia. Desistimos na hora e então, fomos procurar outro. As minhas amigas indicaram a Casa do Porco, que também é bem tradicional em São Paulo e era bem próximo dali, mas a fila de espera estava ainda maior, de cerca de 2 horas.

Fomos almoçar no Restaurante Mestiço de culinária tailandesa. Ambiente agradável e a comida é deliciosa. Realmente valeu a pena conhecer!

Depois do almoço fomos para o Farol Santander, inspirado no Empire State de Nova Iorque. É um dos prédios mais altos do país, cartão postal de São Paulo e possui um mirante muito bacana no topo.

Infelizmente, da primeira vez não havíamos feito reserva e as entradas já haviam se esgotado. Alguns meses depois, eu voltei a São Paulo e com antecedência, reservei pelo site oficial do Farol Santander e consegui fazer a visita.

Além do mirante e da cafeteria no mesmo andar, nos demais andares, encontramos pista de skate e várias exposições, algumas delas super instagramáveis. Um andar mais surpreendente que o outro!

O ano de 2022 é um ano muito importante para nós brasileiros! Isso porque há 200 anos nosso país tornava-se independente de Portugal e há 100 anos acontecia a Semana de Arte Moderna. Para marcar essas duas datas, o Farol Santander inaugura a exposição “Identidades – 22&22&22”, com mais de 100 obras.

1ª exposição: Identidades – 22&22&22

Os valores de entrada são: R$30 (inteira), R$27 (cliente Santander) e R$15 (meia) e o funcionamento de 09:00 as 20:00, de terça-feira a domingo, mas fica fechado as segundas-feiras. Meu conselho é comprar o ingresso com antecedência e chegar uns 10 minutos antes do seu horário.

No próximo andar abaixo das exposições, fica uma pista de skate, onde você pode alugar equipamentos como capacete, joelheira, cotoveleira e skates. Por lá, também possui uma lojinha com produtos da Vans, além de suco, água, isotônico, etc.

A Espuma Delirante de Rafael Silveira é uma exposição que cada centímetro quadrado foi pensado para proporcionar aos visitantes uma experiência de múltiplos estímulos sensoriais. A exposição é formada por ambientes que se conectam.

Eles estão integrados por combinação de elementos que amplificam o impacto da imersão. Tem iluminação, sonorização, imagens que se movem, esculturas derretidas, paredes animadas. Tudo isso forma, em seu conjunto, novos modos de viver uma exposição de arte.

Indico separar pelo menos 2 horas do seu dia para visitar o Farol Santander e suas exposições.

Ao descer, aproveitamos que já estávamos por ali e fomos visitar o Pateo do Collegio que estava pertinho. Ele é uma obra apostólica da Companhia de Jesus e tem se tornado referência na preservação da memória histórica acerca das origens da cidade de São Paulo, na promoção da cultura e na afirmação da fé cristã em nossa sociedade, ao proporcionar um diálogo constante entre a história, a cultura inaciana (que é o modo de proceder e espiritualidade dos jesuítas, legado de seu fundador) e a cultura atual por meio da realização de eventos gratuitos ou de baixo custo.

Como podem ver escrito na placa abaixo, o Pateo do Collegio tem uma enorme influência histórica: “Aqui foi fundada a cidade de São Paulo em 1554”. Esse placa está fixada em frente o Pateo.

Do Pateo fomos para o Bairro da Liberdade, mas antes vou postar aqui minha visita a Praça da Sé e a Catedral da Sé na outra viagem que fiz para São Paulo. A Praça e a Catedral são próximas ao Pateo, podendo ser incluídas no roteiro quando estiverem visitando essa região.

Praça e Catedral da Sé
Catedral da Sé – dentro

Chegamos ao Bairro da Liberdade e eu fiquei impressionada o quanto ele cresceu desde quando eu o conheci, cerca de 6 anos atrás. As ruas completamente lotadas, cheia de barraquinhas e uma infinidade de lojas. Estava bem diferente, mas gostei desse antes e depois.

Depois da Liberdade, voltamos para o apartamento e fui descansar. Esse dia estava muito quente, contrariando toda a previsão do tempo que estava fazendo antes da minha chegada em São Paulo. haha

.

3º dia – Avenida Paulista:

Chegou o dia de conhecer melhor a Avenida Paulista. Estive lá no domingo, quando ela é fechada e durante a semana, como na foto abaixo, com bastante movimento.

Para isso, fiz um post exclusivo! CLIQUE AQUI para conferir tudinho!

.

Após esse domingo na Paulista, voltei para o apartamento para descansar e ver BBB com minha amiga e anfitriã Glenda e o neném mais lindo Bento. Foi um dia muito bom, mas também muito quente e eu fiquei esgotadíssima. hahaha

No outro dia cedo retornei a Brasília, mas esses dias em São Paulo foram ótimos. Agora preciso voltar para fazer o que não deu tempo dessa vez! São Paulo sempre vai ter algo novo para me apresentar, por isso, toda vez que puder, eu volto correndo!

.


Quer conferir todos os posts de destinos nacionais do Blog? Clique aqui!

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.